segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Unidade 47


Shep, me leva na ambulância

Eu tenho uma mania muito estranha de me importar mais com os coadjuvantes do que com os principais. Sempre...seja filme, série, gibi.

Por exemplo, em Preacher, me preocupava muito mais a história dos olhos do Cassidy, do que a busca do Custer. Em Prison Break me preocupava muito mais com o que o Abruzzi estava fazendo do que o Scoffield. É sempre assim, meus personagens favoritos são sempre os mais coitados.

E ontem tava assistindo a segunda temporada de ER (que é ER e nada me faltará) para relembrar os tempos mais singelos do Carter interno e...porra, pude lembrar como eu gostava dos paramédicos da Unidade 47...OI? quem? Ninguém lembra deles, aposto...A Unidade 47 não viveu nem 20 episódios, foi um fail total.

Raul (que era gay \o/) e Shep (que era diliça \o/) apareceram como os primeiros paramédicos da série a terem história e falas de verdade (não só "entubamos no local, pressão 8/6, pulso 40") e o Shep acabou sendo par romântico da Hathaway.

Mas como não convenceu ninguém (a não ser a mim), mataram o Raul num incêndio e fizeram o Shep surtar e sumir por causa disso. Pô, e eu gostava tanto deles!

Já que todos os personagens veteranos darão as caras no episódio final de ER, podiam dar uma pontinha pro Shep.

ficadica.

1 Comentário:

Moara disse...

Os paramédicos de ER tiveram uma PUTA INVOLUÇÃO com o surgimento do Dr. Tony Gates ... Um fiasco total com mulher e filha problematicuzinhas.
Mais pra frente ele namorou a Neela... Adoro a Neela

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO