terça-feira, 28 de julho de 2009

Capitão, Meu Capitão

 
Antes que o Zé da Fiel reclame, esse não é um post para gozar com o pau do Tcheco (por mais que eu quisesse realizar tal feito).

Na verdade a necessidade de discutir o real papel de capitão de uma equipe de futebol surgiu de discussões intermináveis com o @FPiccolo, que afirma que capitão não está lá pra jogar pra galera, nem fazer média com torcida e nem comemorar quando o colega faz gol. Será que não?

Qual a real função do capitão do seu time? Alguns dirão que o homem da braçadeira é a voz do técnico dentro de campo, outros dirão que ele é o fator de união da equipe e outros irão mais longe, dizendo que ele é o coração da torcida e a cara do time, alí, dentro das quatro linhas.

Vamos pegar como exemplo, Dona Rogéria Ceni e sua preleção "eles jogaram gás na gente". O eterno camisa 1 do São Paulo, Futebol, Peteca e Ai Tô Bege, entra temporada, sai temporada vê jogador ir, vir, voltar, deixar o clube e segue lá, conhece todas as nuances do time e dos campeonatos. Rogério é mais experiente que a maioria dos seus colegas de equipe, logo tem a cabeça no lugar, sabe parar e respirar quando a coisa aperta. Dona Rô sabe orientar, sabe pôr as amigues pra correr na direção certa, mas também é coração, paixão, é a torcida ali debaixo da trave. Ou alguém vai negar que Rogério Ceni não é exemplo de torcedor são paulino (aliás, deviam aprender com ele, por que tá #fail o negócio lá praquelas bandas nobres da cidade)!?

O capitão não precisa ser aquele que tem mais futebol, nem o mais estrela do time. Também não pode ser um picolé de chuchu, inexpressivo. É o cara que vai olhar nos olhos da torcida e tirar aquele último fôlego aos 43 do segundo tempo pra fazer o time render tudo o que ainda puder. É o cara que corre primeiro pra abraçar o artilheiro do time. É o caboclo que bate no peito, beija o escudo, afaga a torcida. Acalma os mais afoitos e argumenta com o juíz, olha pro técnico na beira do gramado e passa adiante o que ele tanto gesticula. Lembra que jogaram gás no vestiário, lembra que deram o time como morto e descasca na preleção. Pra no final de tudo isso, ele poder levantar a taça. Sorrindo ou não, pegando fogo ou não, 100% Jardim Irene ou não.

Não é o que todo capitão é, mas deveria.

18 Comentários:

Vinicius Cabral disse...

Já foi tempo que o capitão era o cara que quando o time tomava gol, ele botava a criança debaixo do braço e organizava a zona antes que alguém fizesse #aloka, que nem fez o D'Alessandro na final de Copa do Brasil...

Muitas das vezes não fazia o gol do título, mas participava da jogada...

Hoje tem uns caras muito frouxos por aí, sabia? Já foi tempo... hoje talvez o único mais "completo" seja o Ceni mesmo...

Etevaldo disse...

Pra resumir, vou dar o nome de um capitão com C maiúsculo: Hugo de Leon!

Esse era o cara. Mandava em campo. E quando tudo dá certo é óbvio que o capitão cai nas graças da torcida!!!

Jennifer disse...

"esse não é um post para gozar com o pau do Tcheco (por mais que eu quisesse realizar tal feito)."
HAHAHAHAHAHA ri muito quando li isso!

Olha, concordo mais do que plenamente com você, acho também que o capitão tem que ser o cara que tenha a voz e influência sobre a equipe. Aquele que quando preciso vai encarar a imprensa depois de uma derrota humilhante de cabeça erguida e tem peito pra encarar uma torcida enfurecida.

Tiro como exemplo o Flamengo. Achava que o Fábio Luciano era um capitão excelente. Incentivava a equipe, dava esporro quando era preciso, só era expulso constantemente! rsrs
Mas era lúcido e nunca falava demais com a imprensa. Conseguia se entender com a torcida, coisa que não acho que o Bruno seja capaz de fazer. Pelo contrário, todas as vezes que vejo alguma entrevista do Bruno pós-derrota, é ele reclamando que a torcida não apoia o time e coisas do tipo. Nunca foi torcedor, ele?? Não entende que tem horas que não dá pra aturar?
Ainda mais quando falamos da torcida do Flamengo que são lunáticos.

Enfim... o capitão tem que ter a cara do time. E se for bonito como o Fábio (Cruzeiro) ou o Tcheco, ajuda bastante! hahaha

=)

Paulinha disse...

Por isso que eu sempre disse q o Túlio era o capitão do Fogão, e não o Juninho... Tá... hj em dia, só o Juninho mesmo, rs

Bruno disse...

Capitão é De Leon, é Sandro Goiano, é Danrlei, é Tcheco, é Dunga, capitão é Maldini, Gatusso, e Zidane, todos eses levaram os times e seleções no coração, na alma, são obstinados, tem um raça incrível, na minha opinião qualquer time começa com um capitão nesses moldes e mais 10 caras, senão nem guardo na memória, como o IMORTAL DE 83, Imortal de 2005, da década de 90, de 2007, Brasil de 94, Milan, Itália de 2006, França de 98 e 2006, é só parar e lembrar desses times e ver que esses capitães fizeram uma diferença enorme nesses times e sempre deixam uma nostalgia só de pensar no futebol dessas equipes.

@TutorUnopar disse...

O capitão Dunga do tetra, foi o capitão mais ativo e vibrante que já vi atuar, verdade seja dita, ela jogava qualquer coisa parecida com futebol, mas sua atuação como capitão merece destaque.

Fernando Piccolo disse...

Grato pela referência. ;-)

O bom capitão inspira, não é inspirado pelo resto do time. O bom capitão é porta-voz do time na imprensa, e não se utiliza dela pra mandar recado. O bom capitão blinda o time, mas não atribui aos outros o próprio fracasso.

Há várias outras características, mas se o seu capitão escorrega em pelo menos uma das hipóteses acima, esqueça, ele não é um bom capitão, é só um oportunista com faixa no braço, que vai enganar um outro, mas certamente não entrará para a história. Nem ele, nem o time.

Zè da Fiel (tergiversando pra cacete) disse...

O bom capitão inspira, não é inspirado pelo resto do time. O bom capitão é porta-voz do time na imprensa, e não se utiliza dela pra mandar recado. O bom capitão blinda o time, mas não atribui aos outros o próprio fracasso.
(X 2)

Resumindo pra ser capitão tem de ter BOLA. Fazer a dança da manivela depois de bater um penalti? Dar cabeçada num jogadozinho bunda? Não ser campeão(vice? ai tô bhege!!)e dai jogar a medalha pra torcida? Cêis tem certeza que capitão è isso? Não è preciso ser campeão pra ser um campeão exemplar. È tambèm ter dignidade. È o Chilavert deitado apòs levar o gol de ouro da França, o primeiro a se erguer, levanta os companheiros prostrados: - "Andale, fizeste lo mejor". E ultimo a dixar o campo. Ser capitão na vitoria, na boa...ate o Roberto Brum.

ps: fales da purtuguesa. O MELHOR JOGO DO ANO 4 X 3 ponha outra foto dessa sua amiga desinibida torcedora da lusa.

ps2: ja faz um 4 posts e vira e mexe a Jenny volta com esse assunto do pau...Desde aquele assunto do band-aid sinto que a Jenny anda meio desacoçoada, meio borrococho. Jenny levanta a cabeça. Deve ser coisa do astros. Com Mercurio em ascedencia, e Netuno entrando em convergencia com Urano, hà um aumento exponencial das energias ascedentes. E agora Saturno entra na decima casa vestindo Apogeu e Gloria de Nabucodonosor no Mundo Encantado da Pecadora Babilonia. Com fantasia coberta de eztraz verdes e 2800 penas azul turquesa confeccionadas pelo proprio carnavalesco. Sebastião Paixão. Nota dez na categoria LUXO

Jenny Taylor disse...

A minha "amiga", na verdade foi a Musa do Brasileirão da Lusa ano passado..merecia ter ganho.

Zé...morri com teu comentário lol

Bruno disse...

Pô, falar que o Dunga jogava qualquer coisa parecida com o futebol é dizer que é cego e ainda por cima querer pilotar uma F1, Dunga tinha lançamento primordiais, roubadas de bolas incríveis, o jogador da copa 94 que menos errou passes na seleção, e outra futebol não se joga só com a bola no pé, é com o olhar, com o grito, com o dedo na cara do adversário, com peitada, com carrinho, jogo de corpo, e tudo isso ele tinha, apesar dele ter começado no beira-lixo e ser colorado pra mim o melhor capitão que eu ja vi na seleção, só a aquela mijada que ele da no Leonardo na copa de 98 ja é foda.

Ery Roberto Correa disse...

O capitão ideal não é somente aquele que peita juiz, que dá a resposta na medida para a imprensa e encara a torcida enfurecida. É também aquele que, quando necessário dá o devido "esporro" no companheiro que fica naquela de "sombra e água fresca". Quem citou Dunga está coberto de razão. Talvez tenhamos que esperar décadas para ter outro igual.

Bruno disse...

Não tem que esperar nada para isso temos Sandro Goiano (brincadeira), Dunga foi foda, mas tenho um carinho enorme pelo Sandro, capitão de 2005 ainda mais depois da cutucada que ele deu no xarope do Alex biba voz de cantor sertanejo.

http://www.youtube.com/watch?v=0F2prFfpbSk

Vivis disse...

Capitão tem que ter liderança!
Capitão tb erra, mas volta e assume o erro. É humilde.

Pode até não aparecer um 'Dunga' tão brevemente, mas dos que vemos hoje em dia, Rogério Ceni é o que há de melhor. O Marcão tb seria se não falasse tanta abobrinha qdo o Parmerinha perde jogos fáceis.

Seleção Brasileira de 94 é parâmetro pra futebol jogado com raça e não pra "bom futebol".

Zé da Fiel disse...

Meu aí já desvirtuo. Ele era um jogador comum, razoavel, no nivel de cleberson, gilberto silva e fabio roquebach. Eu lembro dele no corinthians eu lembro dele na copa de 90. Dunga era uma droga de jogador mas como a ultima impressão é a que fica... já tem gente chamando o Rivaldo de Gênio.

Dunga era o xerifão de um timeco meia-boca, pra quem não lembra o capitão era pra ser o Ricardo bigodão rocha, zagueiro do flamengo que se machucou antes da copa. Dunga seria um mero coadjuvante.
Po causa de um golpe de sorte, a dança da manivele virou sinonimo de raça, jogar feio virou sinonimo de futebol de resultado, quando quanha...quando perde, pode ser o carrosel holandes que vão julgar todas as virtudes pelo prizma da incompetencia

Harley Coqueiro disse...

O Dunga foi bom. Mas o Chicão foi muito mais foda!

Quem se lembra do Chicão (São Paulo/Atlético-MG e Seleção de 78) sabe do que eu estou falando. O Dunga foi uma dama parisiense perto deste ícone de malvadeza do futebol brasileiro.

O Chicão (quem verdadeiramente inspirou o nome deste blog) se impunha tanto em campo que, para vocês, crianças, terem uma ideia, na final do Brasileirão de 77, em pleno Mineirão contra o meu Galo invicto (o único vice-campeão invicto da história!), após o Neca do São Paulo (eles ainda não eram bambis) quebrar a perna do Ângelo do Galo, o Chicão ainda deu um pisão maldoso (não se pode referir aos atos do Chicão como covardes) no infeliz chorando no gramado, na cara de um tal Borraldo Cézar Coelho que, também morrendo de medo, sequer advertiu o Chicão e o Neca com cartões amarelos.

Viva Chicão El Bigodon Mardiiito!

Bruno disse...

Não acho que o Dunga virou o que é por golpe de sorte, e sim porque deveria ser tava lá escrito nas tábuas do destino (momento Igreja Universal), e quanto a jogar bonito, prefiro mil vezes bico na bola e vitória do que firula,frescura, pedalada e derrota no final, se fosse pra ver isso eu ia ver ballet. Por isso que aqui no sul quando o cara da um carrinho na bola, enfia o dedo na cara, da um bico pra longe, da um carrinho pra tirar uma bola que vai sair, ele é aplaudido porque aqui se valoriza raça e gana, jogo bonito fica em quinto plano, por isso Grêmio é tão odiado.


OBS: Pô Zé assim tu me quebra a banca, eu achava que corinthiano gostava de jogador raçudo, tipo Tevez.

Anônimo disse...

Adoro esse "Nhem nhem nhem" de sempre com as coisas relacionadas ao São Paulo. Algo meio infantil, da linha "eles são os melhores, mas são feios e bobos..."
Deveria ter escrito do "HEXACAMPEÃO São Paulo, Futebol, Peteca e Ai Tô Bege"(sic), aí, a dor de cotovelo de quem chupa o dedo enquanto a gente comemora, ficaria ainda mais evidente. hahaha

Anônimo disse...

Atualizando...3 a 1, fora o baile.
Obrigado, freguesia. ;-)

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO